Entrelinhas

Somos o que cremos ser

10/06/24 - 12:00

Por Juninho Sinonô

 “Se te mostrares frouxo no dia da angústia, a tua força será pequena”. (Provérbios 24:10)

Nossos pensamentos são determinantes para os resultados das guerras que enfrentamos, principalmente nos piores dias de batalha. 

Se nos dias difíceis prevalecer o pensamento da derrota, certamente ela virá, antes mesmo do combate.

Contudo, o inverso também procede. A resistência às adversidades aumentará proporcionalmente conforme o pensamento de determinação.

Frouxidão é sinônimo de covardia, que representa a inercia e falta de atitude diante os problemas.

Quanto mais frouxo, menos forte e quanto mais corajoso mais resistente.

Covardia não é falta de força e sim de coragem para o enfrentamento. Nela pesa o medo dos males que podem vir. Coragem não é falta de medo, mas determinação acima de qualquer viés, pesando os louros da vitória sobre qualquer dificuldade.

O covarde antevê a derrota, enquanto o corajoso foca na vitória. E ao final, ambos estarão certos quanto as próprias perspectivas.

A questão aqui não está na força de combate em si. Vem antes dela, na sua origem: a mente.

A nossa postura diante as adversidades define o nosso poderio de enfrenta-las. Se nos mostrarmos fracos e desanimados, ali permaneceremos.

Não sei o verdadeiro autor da máxima de que “somos o que pensamos”, mas ele acertou em cheio.

A frase soa bem na euforia, quando visualizado dias melhores e momentos agradáveis. Nesses instantes fazemos o exercício mental de acreditarmos ser aquilo que lindamente passeia pelos sonhos.

Contudo, no primeiro sinal de problema, tal premissa costuma ser esquecida e cede lugar a outros pensamentos como: “eu não consigo”, “é impossível”, “não sou capaz”, “fui injustiçado”, dentre outros sabotadores de conquistas.

Ora, o sentido não muda pela maior ou menor complexidade da situação. Se somos o que cremos, determinamos o que vamos viver, tanto no bom quanto no ruim.

Você sempre estará certo quanto às suas crenças determinantes.

Se acredita que não vai conseguir, pensou corretamente. Do mesmo modo se pensar que vai. Não é apenas o tamanho do desafio ou a possibilidade de recursos que definem a sua vitória. 

Bem mais é a forma como você os vê e bem além, a forma como você SE enxerga.

O que você tem visto do outro lado do espelho?

Independente do embate, qual é o tamanho da sua grandeza?

Vislumbra frouxidão ou ousadia?

Saiba que o que está vendo é exatamente a sua capacidade real, com o detalhe sutil de que o seu potencial de crescimento é limitado meramente por aquilo que acredita.

Se vestes a si pequeno ou enorme, não se assuste: você está certo!

 



 

Juninho Sinonô

Veja Mais