Sobre propósitos

30/07/22 - 09:00

“Sabemos que Deus age em todas as coisas para o bem daqueles que o amam, dos que foram chamados de acordo com o seu propósito” (Romanos 8:28)

Qual é o sentido da vida?
Encontrar aquilo que causa realização e ao mesmo tempo contribui para o crescimento dos demais. Ele é percebido de dentro para fora, mesmo que para os outros não faça sentido algum.
Essa é o efeito do propósito: doar-se enquanto recebe, com satisfação plena.

Ele é o motivo maior da sua existência e o que dará destaque na sua passagem pelo mundo. Porém, poucos são os que de fato descobrem o seu verdadeiro propósito.
Um dos entreves desta descoberta é a ideia fantasiosa de que propósitos estão ligados a riqueza, fama e grandiosidade.
Pouquíssimos tem o sentido da vida atrelado ao glamour do reconhecimento. A finalidade é servir, e não ser servido. Em paralelo a alguém publicamente realizado, estará outros que possibilitaram tais conquistas ao realizar os seus propósitos no anonimato. E da mesma forma, contemplaram a realização. ‘

“Cada um exerça o dom que recebeu para servir os outros, administrando fielmente a graça de Deus em suas múltiplas formas.” (1 Pedro 4:10)
Antes de encontrar o proposito, é preciso descobrir quem somos. 
Certezas do que gostamos, acreditamos, quais valores prezamos e o que desprezamos ou não queremos é crucial para saber para onde devemos ir. Lugares, coisas, pessoas e ambientes particularmente atrativos também direciona ao que buscamos. 
Nada que fisga a atenção é por acaso. Atente-se ao que te traz palpitações e faz o coração queimar gratuitamente.
Todos temos um dom, a qual devemos aflorar. Deus te dá a direção, mas a medida do desabrochar é você quem determina.  
Por isso, antes de alcançar o propósito, é preciso passar por fases prévias. O preparo é necessário para ganhar maturidade, consciência e força que lhe capacite para o exercício da sua incumbência. É possível pular ou parar em alguma dessas fases, porém o resultado não será o planejado para sua vida.
Existe a diferença entre o que quer fazer e o que deve ser feito. O propósito ampara a segunda opção, mesmo que para isso se gaste tempo, suor e sacrifícios. Porém, quando identificado, achou-se o caminho mais curto para a prosperidade. 

“Porque sou eu que conheço os planos que tenho para vocês', diz o Senhor, 'planos de fazê-los prosperar e não de causar dano, planos de dar a vocês esperança e um futuro.”
(Jeremias 29:11)

Existe facilitadores da compreensão de que se está na direção correta? SIM!
É caminhando que o sentido aparece. Por isso, não parar de seguir é requisito primordial. Não confunda propósito com trabalhos, carreiras, cargos ou realizações momentâneas. Lembre-se das fases. Não pare se as circunstâncias te faz seguir, ainda que contrárias à sua vontade. Continue!
Não rejeite o que te incomoda. Pelo processo de aprendizado, aquilo que te impacta provavelmente está relacionado ao seu propósito. As suas dores serão causa do alivio de outros. Observe o que te transformou.
Identifique o que dá importância e estabeleça prioridades no que julgar primordial. Não há como alcançar algo sem renuncias e prioridades. Foque naquilo que, ainda que penosamente, contribui para o ambiente na qual se insere. Se não há nada, certamente está no lugar errado ou está priorizando o que não deve.
Olhe para frente, sem esquecer do que já fez. Por tratar de um percurso, toda parte do caminho é importante. Onde está agora, é resultado das passadas que deu. Entenda o itinerário percorrido, pois ele te dará a direção para onde e como continuar a seguir.
E o mais importante: mantenha o equilíbrio e alinhamento das saúdes física, mental e espiritual.  A primeira permitirá seguir nos momentos de exaustão, a segunda dará clareza para identificar assertivamente as possibilidades e a última, a mais importante, é a que te manterá firme no caminho, mesmo quando ele parecer não mais existir.