De quase vilão a responsável pela classificação do Atlético. Noite foi de Everson contra o Boca

21/07/21 - 08:28

Chico Maia

O goleiro não fazia uma boa partida e aos 17 minutos quase comprometeu o Galo ao soltar bola nos pés de Weigandt, que fez o gol. Mas, o VAR anulou, sob o pretexto de que o atacante estava alguns centímetros à frente. Dessa vez, “santo VAR” para o Everson, que seria execrado e para o time todo.

O gramado molhado foi um problemão, desde o início do jogo, quando Nacho e Zaracho andaram escorregando. Na cobrança dos pênaltis, Hyoran sentiu na pele o drama, escorregou e caiu na hora de bater. Mas Everson tem os macetes para incomodar os batedores adversários e os usou bem. Defendeu dois, viu um sendo batido por cima do gol e ainda marcou o seu, escalado que foi para as cobranças pelo Cuca. Se tornou o herói do jogo ao salvar o time e em especial ao Hulk, que raramente erra pênaltis, mas dessa vez errou, chutando no poste esquerdo. Era o primeiro da série pelo Atlético, que poderia ter tudo a perder. Que bom que o Everson estava em noite inspirada. Hulk não merecia ficar marcado como alguém que erra cobrança de pênalti em momento decisivo.

O time não criou tantas oportunidades  e na primeira bem clara, na cara do goleiro, Zaracho desperdiçou. Na cara do goleiro. O time só atacava pelo lado direito, já que Dodô foi muito mal na esquerda, principalmente ao tentar apoiar.

imagem

Depois do jogo o pau cantou nos corredores e vestiários do Mineirão. O Boca Juniors queria descontar de alguma forma. A PM agiu bem e tudo resolvido.

Agora é aguardar River Plate ou Argentino Jrs., que definem a vaga entre eles. No Monumental foi 0 x 0.

Veja mais em chicomaia.com.br  .

Veja Mais