DE OLHO NA POLÍTICA

04/06/21 - 09:43

João Henrique Faria é jornalista e consultor político eleitoral e governamental, proprietário da Fator Consultoria
João Henrique Faria é jornalista e consultor político eleitoral e governamental, proprietário da Fator Consultoria

por João Henrique Faria*
 

POLÍTICAS PÚBLICAS

Do positivo...
Derrubados os vetos do presidente Jair Bolsonaro ao PL 795. Produtores e artistas poderão utilizar os recursos remanescentes da Lei Aldir Blanc até dezembro de 2021.
Ao negativo...
Essa, ao invés de ajudar, vai atrapalhar. Falta de políticas para o setor e estiagem prolongada, com nova crise hídrica, farão o brasileiro pagar o pato. Energia elétrica mais cara a partir de junho.

MINIRREFORMA POLÍTICA

Em um programa da Rádio Brilho, da cidade de Cataguases, Zona da Mata Mineira, perguntei ao deputado federal Newton Cardoso Júnior (MDB) sobre dois pontos na pauta da Comissão Especial da Câmara dos Deputados, encarregada de discutir uma minirreforma política e que tem como presidente o deputado mineiro Luiz Tibé (Avante): o retorno das coligações proporcionais e a volta do financiamento empresarial de campanha.

Newton disse haver possibilidade, com regras, de retorno do financiamento empresarial de campanha, mas não acredita no retorno das coligações proporcionais. Neste segundo caso, crê ser mais provável a aprovação das Federações Partidárias, junção de partidos para disputas eleitorais, mas com a obrigatoriedade de ficarem juntos por pelo menos quatro anos.

É pagar pra ver.

CPI DA COVID

A cada semana um senador se destaca na CPI da Covid, deitando e rolando nos depoentes. Desta vez foi o senador Otto Alencar, escancarando com a médica Nise Yamaguchi. A defesa fica cada vez mais difícil para os senadores governistas.

ELEIÇÕES 2022

Troca-troca
Continuam as movimentações visando as eleições do ano que vem. Muita gente já trocando de partido e outros negociando, à espera da janela. Com a ida de Flávio Bolsonaro para o Patriotas, especula-se que este pode ser o caminho do presidente Jair Bolsonaro.

Sobe e desce
Na esteira destas movimentações, uma aposta em novo grande crescimento do PSD. Já para o pós-eleições, as apostas hoje são de crescimento do PT, com a provável candidatura de Lula à Presidência, e uma queda considerável do PSL, tanto por perder Bolsonaro, quanto pelo desgaste da legenda, em função das atuações de seus parlamentares em seu primeiro grande momento de destaque nacional.

Destino
Na linha das mudanças partidárias, especula-se a saída do senador Rodrigo Pacheco – hoje presidente do Senado e consequentemente do Congresso Nacional – do DEM. Ele já foi do MDB e poderia retornar. Em jogo a disputa pelo Governo de Minas.

De olho nos números
A seguir a não coligação para cargos proporcionais nas eleições do próximo ano, o que é mais provável, os partidos estarão diante de uma tarefa árdua. Cada legenda poderá lançar até 80 candidatos a deputado federal e 116 candidatos a deputado estadual. A regra já levou a um recorde no número de candidatos a vereador nas eleições de 2020 e também de candidatos a prefeito, uma vez que já se previa a necessidade de formar lideranças para as eleições de 2022.
 

João Henrique Faria é jornalista e consultor político eleitoral e governamental, proprietário da Fator Consultoria. WhatsAPP: (32) 98887-4933