COLUNA CATÓLICA

24/07/22 - 09:00

Padre Warlem Dias
Padre Warlem Dias

SIM, EU SOU O CORPO DE CRISTO
Por ocasião da Festa de Corpus Christi, em 16/06p.p., no alargar as visões, corações e viver a Eucaristia. Pode soar incomodo ou blasfemo. A motivação é para alegria e vida, na memória da morte e ressureição de Jesus, que se fez corpo presente em tantos corpos. Adoremos, seguindo-o no que falou e fez.
Na memória de Dom Luciano Mendes Almeida que certa vez disse: ao receber a hóstia, o ministro diz, ´O corpo de Cristo´ e deveríamos responder: “SIM, EU SOU CORPO DE CRISTO.” Isto revela beleza e graça, no comer e beber com toda vida que se faz corpo, ao sabor do corpo de Cristo.
Nós materializamos a Eucaristia no pão e no vinho, nas palavras “tomai e comei, isto é o meu corpo, que é dado por vós”, 1Cor 11,24 e “este cálice é a nova aliança em meu sangue. Todas as vezes que dele beberdes, fazei isto em minha memória”, 1Cor 11,25. Pão que nutre a vida e sangue que dá vida.
Jesus toma o pão da comunidade e faz dele o seu corpo, do seu corpo faz o pão da comunidade.
O Corpo de Cristo se faz comunhão, que se dá na alegria da partilha e solidariedade dos corpos, o de Cristo e de cada um na comunidade.
Com e além da beleza das procissões com ruas enfeitadas de símbolos eucarísticos pães, peixes, vinho... É preciso pensar e trabalhar o pão que alimenta e nutre a vida.
“Dai-lhe vós mesmos de comer”, Lc 9,13.
A procissão dos famintos de pão cresceu no mundo. No Brasil, são 33 milhões de pessoas cujos lamentos e gritos ecoam na procissão do Corpo de Cristo, no meu e da Igreja: “coisa mais ruim do mundo é dormir sem comer. Não tem sono, vira de um lado e de outro. É muito ruim mesmo. Já pensou! Deus o livre”; “já pensou a gente querer comer e não ter”; “uma, duas colherinhas para cada um, pra não deixar a barriga vazia, só para não dizer que não comeu.” “Agora falta tudo! Tá caro! Só osso.”
Sem solidariedade e partilha não há milagre.
A solução está em nosso meio. “Só temos cinco pães e dois peixes”, Lc 9,13. Promover a segurança alimentar por meio da solidariedade e da partilha. “O pão que não parte não se reparte e não se torna pão.”
Na procissão de Corpus Christi outas procissões estão gritando “Eu sou o corpo de Cristo”.
São milhares de corpos sofridos, humilhados, famintos, caídos, explorados, violentados, alvejados, sumidos, indigentes; sem riso, cor, beleza e nome; são mulheres, negras, crianças, idosas, trabalhadoras, LGBTQIA+, naturalizados e invisíveis presentes no meu corpo e no corpo de Cristo. SIM, EU SOU O CORPO DE CRISTO!