Saúde

Disfunção erétil psicogênica

A disfunção erétil psicogênica é bastante comum em homens jovens, que estão iniciando a vida sexual. Porém, ela pode ser um problema em qualquer idade.

06/04/23 - 08:24

Por Dr. Gelbert Luiz Chamon

São os casos de pessoas que não possuem nenhum problema físico mas que, por algum motivo, não conseguem manter uma ereção. 

A frustração e a sensação de impotência podem prejudicar gravemente a qualidade de vida e o relacionamento dos homens nesta situação. Consultar o médico urologista para a realização do diagnóstico e tratamento torna-se ainda mais importante. No geral, a ansiedade e o medo de falhar são especialmente relatados entre os pacientes com disfunção erétil psicogênica. E tais manifestações psicológicas podem acabar interferindo fisicamente na função sexual.

Durante a ereção, o sistema nervoso dos homens coordena uma série de reações que faz com que o pênis fique ereto. É o preenchimento de sangue das estruturas chamadas de corpos cavernosos que faz com que o órgão fique rígido e que possibilita o ato sexual. 

No entanto, a liberação de hormônios como a adrenalina e o cortisol pode levar à contração das estruturas que deveriam justamente estar relaxadas para a ereção.

Isso pode causar problemas no mecanismo de “enchimento de sangue” no pênis e levar à disfunção erétil. Cada pessoa possui características e histórico de saúde próprios. Por isso, o diagnóstico e o tratamento deve ser sempre individualizado

Para diferenciar a disfunção erétil psicogênica dos tipos causados por fatores orgânicos, o médico urologista pode solicitar alguns exames. A medição dos níveis de testosterona no sangue pode ser um deles.

Além disso, é fundamental uma conversa franca e aberta sobre o estilo de vida do paciente. O médico poderá perguntar sobre saúde geral, alimentação, exercícios físicos, estresse, uso de medicações, drogas, hábitos sexuais, masturbação, qualidade das ereções, entre outros fatores.

Por tudo isso, o tratamento da disfunção erétil psicogênica costuma ser multidisciplinar. Ele pode envolver a participação de outros profissionais da saúde, como o psicólogo. O uso de medicamentos e de outros recursos para disfunção erétil também pode ser prescrito como apoio inicial em determinadas situações.

Dr. Gelbert Luiz Chamon

Urologista, Mestre em Biomedicina, Titular da Sociedade Brasileira de Urologia, Coordenador da Residência em Urologia da Santa Casa de Belo Horizonte e Cooordenador da Comissão de Residência Médica do Hospital Municipal Sete Lagoas.
(31) 3774-7500

Veja Mais