Entrelinhas

Dê o passo, que Deus coloca o chão

28/10/23 - 09:00

Por Juninho Sinonô

Deus não ajuda ninguém que está parado.
A começar pelo verbo “ajudar”. Ajudar é auxilio, complemento a algo que está sendo feito. Auxiliar à inercia é permanecer no mesmo estado.
É preciso ação e movimento.
Mantendo a ajuda divina como norte, assim foi com todos os heróis bíblicos. Antes das vitórias, vieram os enfrentamentos e avanços sobre as tormentas. 
Abraão precisou embrenhar no desconhecido para encontrar a terra prometida. Moisés, de atravessar o deserto em prol da libertação do seu povo. Davi primeiro lutou com o gigante em batalha, para depois tornar-se rei.
A ajuda chega através do ânimo, da determinação, da força de superação e de sentimentos para a continuidade e conclusão daquilo que deve ser feito somente por você.
Por pior que o obstáculo aparente, para ser superado precisa ser confrontado.
O próprio Jesus, com todo o seu poder, exigia dos merecedores que agissem antes de receberem os milagres. Precediam de levantar e andar, jogar as redes no local apontado, partir os pães para que multiplicassem ou passarem lama nos olhos antes de enxergar.
Levando-se em conta a essência de um milagre, todas essas ações, superficialmente, carregam em si mera banalidade, ante a grandeza do que acontecia posteriormente.
Contudo, carregam uma mensagem profunda, até mesmo para os que não acreditam na divindade do Deus Soberano.
Demonstram que quando algo é buscado, precisa movimentar-se na direção do que quer, ainda que o caminho seja confuso.
Nada aconteceu com o mero estalo de dedos do Mestre de todas as coisas, ainda que o pudesse fazer, para que não restasse dúvidas de que ele interfere somente após o cumprimento da nossa parte individual da missão. 


Essa é a ideia da frase “Dê o passo, que Deus coloca o chão”, uma das minhas preferidas.
Nem sempre conseguiremos alcançar com facilidade, contudo, é primordial saber o que queremos e agir, ainda que acanhadamente, na busca de possibilidades que nos aproximem do pretendido.
É aí que Deus entra, nos dando circunstâncias posteriores para que continuemos a nossa caminhada.
 É fundamental saber que Deus não trabalha na desordem.
Por mais que o cenário externo seja conturbado, o interno precisa estar alinhado. Digamos que é necessário que haja ordem em meio ao caos.
Antes de tudo, vem a decisão. A clareza e definição do que será buscado. Depois, a “organização do terreno” para que Deus participe do seu empenho.
Não haverá como emagrecer sem mudança de alimentação. Não tem como ser saudável ou curar de enfermidades sem a troca da rotina e dos hábitos. Não haverá como ter a profissão sem a previa capacitação, seja ela técnica ou educacional.
Nesses contextos surgirão inúmeras dificuldades, de ordem financeira, psicológica, física, familiar e outras inimagináveis.
Mas, havendo a clareza do que está sendo construído, em conjunto com a decisão da finalização do planejado e as ações para que isso ocorra, está preparado o terreno da ajuda, e, por conseguinte das conquistas.
Ambas virão fracionadas, por vezes a conta gotas e até imperceptíveis, mediante oportunidades inesperadas, pessoas desconhecidas, lugares inusitados, “coincidências”, livramentos de e assim por diante.
Feito o rascunho, e se era a ajuda o que lhe faltava, não perca mais tempo, pois “nada cai do céu”, mas “Deus ajuda quem cedo madruga”, e não tema, e de imediato “dê o passo, que Deus dá o chão”.

Juninho Sinonô

Veja Mais