Alerta de ataque de peixes

06/01/21 - 07:12

A Prefeitura de Carmo do Cajuru emitiu um alerta à população após registrar, na última semana, ataques de peixe pirambeba.  Além do alerta, o Executivo reforçou que o banho está proibido na barragem onde ocorreram os ataques por causa das restrições de aglomeração da Covid-19. Segundo a Prefeitura, a informação de que banhistas haviam sido mordidos por pirambeba foi registrada na sexta-feira, 2. A Prefeitura explicou que o ataque deste peixe é comum no local, principalmente, com as altas temperaturas. A pirambeba é um pequeno peixe carnívoro da família das piranhas, que pesa entre 150 e 250 gramas. (Nova Imprensa- Formiga)

Índice atinge 1.549,90mm
A Chácara do Desengano S/A, localizada no centro de Leopoldina, mantém em sua sede um pluviômetro, aparelho de meteorologia usado para recolher e medir, em milímetros lineares, a quantidade de chuva precipitada durante um determinado tempo. O índice pluviométrico do ano de 2020 registrado de 1º de janeiro a 31 de dezembro de 2020 em Leopoldina, apontou chuvas em 108  dias. A média diária anual foi de 14,35mm e a média mensal anual foi de 129,16mm totalizando 1.549,90mm nos 12 meses de 2020. (Jornal Leopoldinense- Leopoldina)

Muriaé registra primeira enchente
O ano de 2021 nem começou e Muriaé já registrou a primeira enchente. Depois das chuvas na cidade e zona rural durante a noite de domingo, 3, e a madrugada da segunda-feira, 4, o cenário era de muita água em vários pontos da cidade. A caixa do Rio Muriaé subiu depressa e as águas chegaram as casas das pessoas muito rápido, dando pouco tempo de retirar móveis e coisas pessoais dos locais. Defesa Civil está trabalhando desde cedo, assim as diversas secretarias, na busca de minimizar os problemas dos moradores. A Defesa Civil aguarda que pelo menos no final do dia, a água comece a recuar e as ruas sejam liberadas. (Gazeta de Muriaé)

Receita autua 34 no Sul
A Receita Federal autuou 34 empresas do sul de Minas Gerais por não recolhimento de imposto de renda retido na fonte (IRRF) relativo ao ano-calendário 2016. As autuações somam R$ 1.177.367,19. No estado foram autuadas 309 empresas e o valor foi das autuações somam R$ 14.194.585,27. Em todo o País, foram autuadas 3.994 empresas, totalizando R$ 259,2 milhões. As autuações ocorreram após o sistema de malhas fiscais da Receita Federal alertar 25.301 contribuintes de todo o País, por meio de carta, sobre a existência de irregularidades no recolhimento do IRRF. (A Folha Regional- Muzambinho)

Ouro Preto anuncia convênio para vacina
A Prefeitura de Ouro Preto, através do Secretário Municipal de Saúde, Tuian Cerqueira, anunciou a assinatura de um protocolo de compra com o Instituto Butantan para a aquisição de 40 mil doses da vacina Coronavac, aplicada contra a covid-19. De acordo com o Secretário, ainda não há um prazo para o início da vacinação. “O que nós fizemos não foi superar essa organização que já existe em relação ao Plano de Vacinações. O que fizemos foi dar uma retaguarda ao povo de Ouro Preto, pois na medida que houver alguma instabilidade ou atraso nós vamos ter vacina”, explicou.  (Jornal O Liberal- Itabirito)

Aterro de Viçosa ampliado
Um acordo assinado entre a Universidade Federal de Viçosa, com interveniência da Fundação Artística, Cultural e de Educação para a Cidadania de Viçosa, e a Prefeitura de Viçosa, através do Serviço Autônomo de Água e Esgoto, vai proporcionar a confecção do projeto executivo para a ampliação do Aterro Sanitário de Viçosa, instalado na zona rural do Siriquite. O documento prevê também a elaboração de Relatório de Avaliação de Desempenho Ambiental e do Estudo de Impacto Ambiental e seu respectivo Relatório de Impacto Ambiental. (Folha da Mata- Viçosa)

Incêndios aumentam 63%
O ano de 2020 foi histórico em diversos aspectos e o aumento no número de incêndios em vegetações e lotes vagos em Uberlândia faz parte desta lista. De janeiro até novembro, o Corpo de Bombeiros registrou um total de 2.208 incêndios, sendo 63% a mais do que os computados no mesmo período de 2019. Conforme aponta o levantamento do Corpo de Bombeiros, o maior número de ocorrências aconteceu em vegetações, principalmente localizadas às margens de rodovias e na zona rural. Ao todo, foram 1.433 registros nos últimos onze meses do ano. (Diário de Uberlândia)

COLUNA MG
Rede de Notícias do Sindijori MG
www.sindijorimg.com.br

Veja Mais